quarta-feira, 29 de maio de 2013

Como viajar gastando pouco

Muita gente vem me perguntar como eu faço para viajar por tantos lugares e gastar tão pouco. Eu não sou agente de viagens e nem sou especialista nisso, mas gosto e pesquiso bastante sobre cada lugar que viajo.
Amo viajar e todo ano eu tento me programar pra fazer alguma viagem nas férias. Sempre tento conhecer lugares que nunca fui. 

Na minha família nem todo mundo curte viajar muito, então não sei a quem puxei. Minha mãe diz que viajava a beça quando era mais nova, mas hoje quando venho com alguma promoção de passagem ela diz que está muito ocupada (e olha que ela é aposentada, então acho que é desculpa esfarrapada mesmo). Já meu irmão mais novo até viaja, mas sempre por aqui por perto já que trabalha nos finais de semana e feriados. O meu pai é uma espécie de workaholic, já que trabalha de domingo a domingo, sem tirar férias (então esse ai nem pensar né?). Só eu e minha irmã desenvolvemos essa paixonite aguda por querer pegar a estrada ou então tirar os pés do chão.

Então, sem pedir dinheiro aos meus pais ou me endividar, eu vou juntando uma graninha ao longo do ano já pensando na minha próxima viagem. Tem mulher que gasta todo o dinheiro com sapatos, roupas, cosméticos e etc. Já eu prefiro gastar meu dinheiro com lembranças, lugares, passeios e conhecendo outras culturas.  Agora chega de blá blá blá e vamos logo a parte prática dessa história.

Dica nº 1: Fique de olho nas promoções de passagens




Cadastre-se nos principais sites das companhias aéreas para receber as promoções por e-mail. Existe um site que estou sempre de butuca,  www.melhoresdestinos.com.br. Eles divulgam várias promoções que estão rolando por ai. Eu inclusive comprei minha passagem para Europa depois de ver uma promoção desse site. Paguei cerca de R$ 1.500,00 na passagem de ida e volta, opção múltiplos destinos (indo por Amsterdã e voltando por Lisboa) já com as taxas. Caso eu optasse ir e voltar pelo mesmo lugar a passagem seria mais barata ainda, cerca de 1.200,00, mas achei que pro meu caso não valia a pena o deslocamento.

Dica nº 2: Compre a passagem com antecedência

Assim que pintar uma boa promoção de passagem não perca tempo e vá correndo comprar. E lembrando que as passagens compradas em cima da hora tendem a ser muito mais caras. Uma amiga que foi pra Europa no mesmo período que eu, comprou as passagem muito em cima da hora e pagou cerca de R$ 3 mil reais, ou seja, o dobro do que eu paguei.

Dica nº 3: Pesquise bastante

Essa é uma dica que já falei bastante por aqui, mas nunca é demais lembrar que você vai perder algumas horinhas do seu dia, mas pesquise cada detalhe. Leia e releia sobre os lugares para onde está indo e procure pesquisar histórias de mochileiros que já estiveram por lá. Minhas principais fontes de pesquisas são blogs de outros viajantes e fóruns, como por exemplo, o mochileiros.com.

Dica nº 4: Hospede-se em albergues




 Aqui no nosso país ainda tem muita gente que torce o nariz para esse tipo de hospedagem, mas quem nunca ficou em albergue não sabe o que está perdendo. Eles têm o preço geralmente mais em conta do que em hotéis e são super limpinhos, seguros e confortáveis (é claro que não são todos e é por isso que a pesquisa é importante). Uns possuem quarto privativo para uma, duas ou três pessoas, caso você não queira dormir ao lado de estranhos. Além disso, você conhece gente do mundo todo nas áreas de convivência. Os sites que eu uso geralmente para fazer reserva e pesquisar preços, localização, condições dos albergues e avaliação de quem já esteve por lá é o Hostel World, Booking e o Hostel Bookers.

Dica nº 5: Procure o melhor câmbio

Quando for viajar pesquise sobre a moeda local e qual é a melhor opção. Não existe uma regra fixa sobre isso, portanto escute outros viajantes sobre a experiência que eles tiveram. Pra Europa, por exemplo, eu cotei o valor do euro em várias casas de câmbio do Rio e troquei o dinheiro aqui mesmo. Levei uma parte em dinheiro e outra em VTM. Já na Colômbia vi que a melhor opção seria levar em real mesmo e trocar em casas de câmbio na cidade. Você pode até trocar uma pequena parte do dinheiro em aeroportos ou rodoviárias, mas eles cobram mais caro, então seria apenas o necessário para você se locomover ou comer algo.

Dica nº 6: Viajar a noite

Tem gente que prefere viajar a noite no trem/avião para economizar uma graninha de hospedagem e isso é válido. É óbvio que se for um trecho curto e você chegar à cidade de madrugada não tem jeito, você vai querer dormir então vai pagar a diária.

Dica nº 7: Comer em restaurantes nada turísticos ou preparar a sua própria comida




Sabe aqueles restaurantes onde as pessoas que moram na cidade comem? Bom, se você quer economizar uma graninha essa é uma boa saída. Eu comi em lugares que eram meio desconhecidos por turistas no Atacama, por exemplo, e foi ótimo. Além disso, alguns hotéis/albergues possuem cozinha disponível para os hóspedes prepararem sua própria refeição.

Dica nº 8: Use e abuse do Wi-Fi gratuito



Ao invés de fazer pacote de dados com a sua operadora de telefone quando for viajar para outros país deixe seu celular no modo avião e use apenas o wi-fi gratuito do albergue ou de lanchonetes. Você pode até mesmo instalar Skype no seu celular e colocar créditos para ligar pra casa sem precisar gastar uma fortuna com ligações internacionais.

Dica nº 9: Faça sua carteirinha internacional de estudante



Caso você seja estudante utilize sua carteira para ganhar descontos em museus, passeios, hospedagens, etc. Na Europa quem tem até 26 anos ainda tem desconto em passagem de trem e para entrada em atrações. No Palácio de Versalhes, em Paris, eu não paguei um real pra entrar.

Dica nº 10: Viaje em baixa temporada

Evite viajar em épocas em que todo mundo sai de férias. Nessa época as passagens podem custar o dobro do preço e as hospedagens ficam muito mais caras. Quando fui pra Europa optei por ir no final de maio, pois o clima já estaria mais agradável e ainda não é alta temporada.



Lugares por onde já passei em outros países: Holanda (Amsterdã), Portugal (Lisboa), França (Paris), Itália (Roma, Florença), Espanha (Barcelona), Bolívia (Salar de Uyuni), Chile (Deserto do Atacama, Santiago, Vina del Mar, Valparaiso), Estados Unidos (Vermont, Killington, Boston, NYC, Miami).


Lugares por onde já passei no Brasil: Maranhão (Lençóis Maranhenses, São Luis), Piauí (Teresina), Minas Gerais (Ouro Preto, Diamantina, Conservatória), Rio de Janeiro (Ilha Grande, Paraty, Paquetá, Angra dos Reis, Teresópolis, Petrópolis, Búzios, Cabo Frio), Recife (Porto de Galinhas), Alagoas (Maragogi), Bahia (Salvador, Ilha de Itaparica, Praia do Forte).

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir